Anuncie

Anuncie

Aumentam os focos de queimadas na Bahia, em agosto, e Coelba faz alerta

Incêndios podem danificar equipamentos do sistema elétrico e provocar interrupções no fornecimento de energia.


Em julho, o oeste baiano já registrou grandes ocorrências de queimadas, a exemplo da que ocorreu no dia 21 de julho, quando a fumaça de uma queimada causou um acidente com um veículo na BR-242, trecho em Luís Eduardo Magalhães. Em agosto, as projeções ainda preocupam, segundo o INPE* (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) já são 332 focos de queimadas em todo o estado, 76% a mais que o mês anterior. Por isso, a Coelba reforça alerta para evitar queimadas, já que os incêndios podem danificar o sistema elétrico e provocar interrupções no fornecimento de energia.

O uso do fogo de forma inadequada para limpar e preparar terrenos aumentam o risco de queimadas. Os danos ambientais são incalculáveis, com perda de vegetação, morte de animais e poluição do ar. Somando a isso, o fornecimento de energia pode ser afetado.

A Coelba alerta que as queimadas, quando próximas à rede elétrica, podem provocar a interrupção no fornecimento de energia. Mesmo que as chamas não atinjam os cabos diretamente, os incêndios podem provocar curtos-circuitos devido ao efeito arco voltaico, uma grande carga elétrica produzida pelo calor da queimada e campo ionizado em volta dos fios.

"O calor e a fuligem tornam o ar capaz de conduzir corrente elétrica entre a fiação e o solo, ou entre os cabos da linha de transmissão. Isto provoca o desligamento da linha e a interrupção do fornecimento. O calor e o fogo também podem provocar danos nos cabos e postes da rede elétrica", explica Geovani Braga, gerente de Operações do Setor Oeste da Coelba.

A Coelba lembra que se deve evite plantar dentro da faixa da linha de transmissão, assim como realizar a colheita manual com o uso do fogo. A orientação é que os agricultores deem prioridade à colheita mecânica.

Para a segurança de todos

O decreto 2.661, de julho de 1998, já proíbe a realização de queimadas em áreas que ficam a pelo menos 15 metros de distância de linhas de transmissão e distribuição e, no mínimo, 100 metros afastadas das subestações. Não é permitido ainda plantar em áreas até cinco metros das redes de distribuição.

Para evitar as queimadas e garantir a qualidade do fornecimento de energia, a Coelba reforça algumas dicas:

- Não coloque fogo em terrenos baldios ou lixões;
- Apague com água as fogueiras em acampamentos para evitar que o vento leve as brasas para a mata;
- Não jogue pontas de cigarro acesas em acostamentos de rodovias ou regiões de matas;
- Não fazer queimadas para limpar pastagens ou áreas de plantações;
- Caso um foco de incêndio que atinja a rede elétrica seja identificado, não deve ser apagado com água.

O mais seguro é acionar o Corpo de Bombeiros pelo telefone 193. Entre em contato também com a Coelba através do número 116.

* fonte: "INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais,11 ago., 2021. Portal do Monitoramento de Queimadas e Incêndios. Disponível em http://queimadas.dgi.inpe.br/queimadas.

Fonte: Coelba

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.