Anuncie

Anuncie

Medo de Queiroz, Queda de Weintraub


O ministro da Educação Abraham Weintraub caiu, ontem, e ao cair gravou ao lado do presidente um vídeo no qual Jair Bolsonaro parecia ausente. Não à toa. O dia foi tomado pelo noticiário da prisão de Fabrício Queiroz, o ex-PM amigo da família que, feito assessor, coordenou o esquema de desvio de dinheiro público no gabinete do então deputado estadual Flavio Bolsonaro. Esquema que pode se tornar fatal para o governo. Queiroz estava na casa em Atibaia de Frederick Wassef, o advogado da família, o que reforça o elo. E, por também ter movimentação atípica em suas contas, há um mandado de prisão contra Márcia Oliveira de Aguiar, mulher de Queiroz. Ela é considerada foragida pela polícia e já havia dito que se esconderia caso tivesse prisão decretada. (G1)

A situação que mais preocupa o Planalto é justamente a prisão dos familiares. A primeira coisa que Queiroz fez, quando os policiais entraram na casa, foi perguntar por Márcia, sua mulher, e Nathalia, sua filha. Nathalia já vem ameaçando entregar o esquema caso algo ocorra com ela ou com seu pai. (Antagonista)

Márcia, aliás, está recebendo auxílio emergencial. (Congresso em Foco)

De acordo com os promotores, Queiroz gerenciava os recursos que angariava entre os salários dos funcionários do gabinete de Flávio Bolsonaro. Uma parte ele transferia em depósitos fracionados para as contas do hoje senador, ou então pagava despesas pessoais. Estão sendo analisados 116 boletos distintos de plano de saúde e mensalidades escolares da família do filho Zero Um, quitados em espécie aparentemente por Queiroz. A polícia do Rio tem um vídeo no qual o ex-assessor faz estes pagamentos. Outra linha de investigação avalia o relacionamento entre Queiroz e o capitão Adriano da Nóbrega, miliciano PM cuja mulher e filha foram assessoras de Flávio. Adriano morreu nas mãos da polícia baiana, no ano passado. (Estadão)

O MP do Rio estima que Adriano transferiu mais de R$ 400 mil para as contas de Queiroz. (Antagonista)

Dentre os motivos que levaram o juiz Flávio Itabaiana a requisitar a prisão, está um áudio de WhatsApp enviado por Queiroz, conta Bela Megale. “Avisa pro doutor aí, se quiser algum contato pessoal com a cúpula de cima, faz contato, valeu?” Mas não é só. A mulher de Queiroz teria recebido R$ 174 mil em dinheiro, de origem desconhecida, para tratar no Hospital Albert Einstein do câncer do marido. (Globo)

Só em sua live das noites de quinta-feira é que Bolsonaro se manifestou. “Deixo bem claro, não sou advogado do Queiroz e não estou envolvido nesse processo. Mas Queiroz não estava foragido e não havia nenhum mandado de prisão contra ele. Mas foi feita uma prisão espetaculosa. Ele já deve estar no Rio de Janeiro, assistido pelo seu advogado, que a Justiça siga o seu caminho. Mas parecia que estavam prendendo o maior bandido da face da terra”, afirmou. Assista. (YouTube)

Fonte: Meio

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.