Anuncie

Anuncie

Zero Um pode ter sido informado por PF de investigação


Um delegado da Polícia Federal alertou o senador Flávio Bolsonaro, ainda entre o primeiro e o segundo turnos da última eleição presidencial, de que ele era investigado pelo caso Queiroz. A acusação feita a Mônica Bergamo pelo empresário Paulo Marinho, suplemente de Flávio e, à época, aliado de Bolsonaro. Este mesmo policial recomendou ao já eleito senador que demitisse Queiroz e uma filha, alocada no gabinete do pai Jair, o mais rápido possível e prometeu que o caso seria segurado até após a eleição. A história veio a público, num furo do jornal O Estado de S. Paulo, em dezembro. Se o alerta de fato ocorreu, houve crime. (Folha)

Segundo Thais Oyama, este delegado não foi Alexandre Ramagem. Ramagem, que o presidente quis ver no comando da PF mas o STF impediu, de fato trabalhou na Operação Furna da Onça. É a investigação que descobriu o escândalo no qual o filho Zero Um estava envolvido. Mas, àquela altura, Ramagem já era responsável pela segurança do candidato. A jornalista diz que Queiroz chegou a movimentar R$ 6 milhões no período de um ano, sem conseguir justificar a origem. (UOL)

Leandro Colon: “O que poderia ter ocorrido naquela disputa se a PF não adiasse a ofensiva? Bolsonaro venceu ciente de que o gabinete do filho estava sendo investigado? E ajudou a encobrir provas? A entrevista de Marinho se soma às acusações de Sergio Moro de que Bolsonaro quer interferir na PF para influenciar em sua atuação no Rio. Outros depoimentos do inquérito aberto pelo STF corroboram essa narrativa. O obstáculo para as investigações no Supremo tem um nome: Augusto Aras, chefe da PGR. Ele não esconde nos bastidores que não vê crimes por parte de Bolsonaro. No que depender de Aras, o inquérito vai para o arquivo. Nesses mesmos bastidores de Brasília, ele até já ganhou um apelido: advogado-geral da República.” (Folha)

A Procuradoria-Geral da República requereu à PF que investigue se houve vazamento. Marinho citou uma série de testemunhas, serão inquiridos. Flávio afirma que é tudo mentira. (G1)

E... O novo ministro da Justiça, André Mendonça, afirma que o inquérito que investiga as acusações de seu antecessor será arquivado. “Não há qualquer elemento indicativo de ilícito e temos total segurança que, em breve, esse inquérito será arquivado”, afirmou ontem. Sérgio Moro afirmou que Jair Bolsonaro quis intervir na PF para proteger os filhos. (Poder 360)

Fonte: Meio

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.