Anuncie

Anuncie

Bolsa cai, dólar sobe e risco Brasil vai junto


O dólar ontem bateu pela primeira vez no patamar de R$ 4,6. O Banco Central tentou evitar o estrago — fez três intervenções extraordinárias no câmbio, mas não deu. É o 12º dia seguido de desvalorização do real. O Ibovespa caiu 4,65%, movido pelo pessimismo interno e externo com a economia — também as bolsas estrangeiras operaram em queda, lá fora muito por conta das incertezas do coronavírus. Por aqui, as maiores quedas foram da Gol e da Azul. (G1)

O dia, hoje, não será melhor. Os mercados globais amanheceram em queda, com as principais bolsas asiáticas abaixo de 2%. O índice londrino FTSE também abriu em queda de 2% esta manhã. Fábricas na China têm dificuldades de retomar atividade, eventos estão sendo cancelados em todo o mundo. Os voos internacionais estão vazios, há passageiros com máscaras por toda parte do planeta, e são as empresas de aviação que puxam a queda. Para as companhias aéreas, o prejuízo no ano está projetado entre US$ 63 e US$ 113 bilhões. (New York Times)

Pois é... O ministro da Economia, Paulo Guedes, falou sobre o dólar. “É um câmbio que flutua”, explicou. “Se eu fizer muita besteira, pode ir para esse nível”, seguiu. Se referia à possibilidade de a moeda americana chegar a R$ 5. “Se eu fizer muita coisa certa, pode descer.” Na quarta-feira, ele já havia questionado a surpresa com o PIB. “Até agora, eu não diria que houve surpresa.” (Poder 360)

Bem... Há gente menos tranquila em sua equipe. “Estou muito preocupado, não durmo tranquilo, não é normal um país como o Brasil crescer 1% ao ano”, afirmou ontem o secretário do Tesouro, Mansueto Almeida. (Estadão)

O problema do Brasil não é só o coronavírus. Os primeiros índices de risco-país começam a aparecer em alta. Ontem, quinta-feira, foi o pior dia do risco-país desde a denúncia feita pelo empresário Joesley Batista contra o governo Michel Temer. (Folha)

Fonte: Meio

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.