Anuncie

Anuncie

Secretário de Cultura evoca Goebbels e pede arte ‘heróica’


O secretário de Cultura Roberto Alvim publicou nas redes, ontem, um vídeo no qual descreve as diretrizes da política para as artes no Brasil em sua gestão. Com no fundo tocando um trecho de Lohengrin, uma ópera do compositor Richard Wagner, e uma cruz dupla à mesa, Alvim anunciou um Prêmio Nacional de Artes. “A arte brasileira da próxima década será heroica e será nacional”, ele afirmou. “Será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional e igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes de nosso povo, ou então não será nada.” O discurso emula o usado por Joseph Goebbels, ministro da propaganda do Terceiro Reich — “A arte alemã da próxima década será heroica, será ferreamente romântica, será objetiva e livre de sentimentalismo, será nacional com grande páthos e igualmente imperativa e vinculante, ou então não será nada”, afirmou nos anos 1930 o alemão. (Folha)

Assista ao vídeo completo. (Twitter)

Então... O escritor Olavo de Carvalho foi um dos que se manifestou sobre o discurso. “É cedo para julgar, mas o Roberto Alvim talvez não esteja muito bem da cabeça”, comentou. (Facebook)

Pois é... Goebbels virou trending topics no Twitter.

O programa de incentivo à cultura se volta para valores conservadores. Serão investidos R$ 20 milhões do Fundo Nacional de Cultura para editais com aportes diretos do governo. Em suas sete categorias, o Prêmio Nacional de Cultura vai selecionar cinco óperas, 25 espetáculos teatrais, 25 exposições individuais de pintura e 25 de escultura, 25 contos inéditos, 25 CDs musicais originais e 15 propostas de histórias em quadrinhos. (Folha)

Fonte: Meio

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.