Anuncie

Anuncie

Guedes quer livre comércio com a China


Aproveitando-se da Cúpula dos Brics, o Brasil deu início a conversas para estabelecimento de uma área de livre-comércio com a China. “A integração ao comércio global é um dos caminhos para a prosperidade”, afirmou o ministro da Economia Paulo Guedes. “Não me incomodo se nossa balança comercial com a China se equilibrar lá na frente. O que queremos é mais comércio.” Na virada do século, o fluxo entre os dois países era de US$ 2 bilhões. Está em US$ 10 bi. Guedes considera o Brasil um dos países mais fechados comercialmente do mundo. (Estadão)

Pois é... Em meio ao mais importante encontro com chefes de Estado já realizado pelo governo Bolsonaro, um grupo de apoiadores do presidente autoproclamado da Venezuela Juan Guaidó invadiu a Embaixada de seu país, em Brasília. O Brasil tem a obrigação de manter a segurança dos postos diplomáticos. E o filho do presidente, deputado Eduardo Bolsonaro, deu apoio via Twitter. (Congresso em Foco)

Enquanto isso... Um grupo de trabalho da OCDE, que está no Brasil analisando o país, demonstrou preocupação com a suspensão de investigações de crimes financeiros disparadas por alertas do Coaf. Os membros do grupo consideram que, desta forma, retrocede no país o combate à corrupção, que é uma das exigência para entrada na entidade. (Folha)

Diga-se... O presidente do Supremo, Dias Toffoli, determinou que o Banco Central lhe enviasse cópia de todos os relatórios de inteligência financeira produzidos pelo antigo Coaf. São informações sobre 600 mil pessoas. Como é no âmbito do inquérito de autoproteção do STF, que corre sobre sigilo, não há como saber o que o ministro pretende fazer. (Folha)

Fonte: Meio

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.