Anuncie

Anuncie

Encontro de Escaladores do Nordeste começa em distrito de São Desidério


Estimativa é a participação de 150 a 200 escaladores no congraçamento que começou de maneira informal em 1999

Começou nessa quinta-feira, 20, em Sítio Grande, distrito de São Desidério (a 860 km de Salvador), o 18º Encontro de Escaladores do Nordeste (EENe/2019) com a proposta de reunir atletas também de outros estados e divulgar o potencial dos paredões de rocha de calcário da região oeste da Bahia. Com encerramento dia 23 de junho, a estimativa é a participação de 150 a 200 escaladores no congraçamento anual, que foi iniciado de maneira informal no hoje Parque Estadual Pedra da Boca, em Araruna (PB), no ano de 1999.

De acordo com a instrutora e uma das organizadoras do encontro, Janine Falcão, apesar das dificuldades iniciais para reunir os escaladores, “Sítio Grande entra para a história (do EENe) como mais um pico a sediar nosso estimado evento”.

O casal de instrutores e fomentadores da atividade, Matheus Sguilaro e Bruna Passos, há quatro anos tenta trazer o EENe para o oeste baiano. “Nossa expectativa é muito boa, pois pela primeira vez acontece aqui e, pela nossa localização, vai congregar muitos atletas das regiões Sudeste e Centro-Oeste”, afirmou Sguilaro.

O potencial da região é aproveitado há cerca de 10 anos, sendo São Desidério o município que já tem um maior trabalho de identificação e organização da atividade, com mais de 150 pontos trilhados e mapeados por meio do trabalho do casal.

De acordo com Bruna Passos, a característica de rochas calcárias é um dos atrativos dos escaladores que vieram participar do encontro, com locais para atletas experientes e também para os principiantes, com paredões de fácil escalada, até os mais complexos.

“Aqui não temos altas montanhas, mas muitas vias esportivas com até 60 metros e com a oportunidade de os praticantes conciliarem as atividades com a observação de belas paisagens e refrescantes banhos de rio”, enfatizou a instrutora.

Um guia de escalada de São Desidério foi elaborado com informações da localização e grau de dificuldade dos paredões mapeados e dos atrativos turísticos. O material contém dados do município e opções de hospedagem e alimentação, considerando que o distrito tem estrutura pequena para a proporção do 18º EENe e sequer tem sinal de celular, “o que é um fator limitante para o crescimento da atividade”, conforme Passos.

Na programação paralela tem oficinas, minicursos e palestras com temas de interesse dos principiantes, escaladores e acompanhantes. Um dos destaques é a exposição de fotografias de Yurika Hidaka com imagens das escaladas na região.

Fonte: A Tarde

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.