Anuncie

Anuncie

May renuncia e Reino Unido deve guinar à direita


A premiê britânica Theresa May renunciou conforme o dia amanhecia, no Brasil. Ela permanece no cargo até 7 de junho. Nestas próximas duas semanas, assumirá a responsabilidade pela derrota de seu Partido Conservador nas eleições para o parlamento europeu, receberá oficialmente a visita de Donald Trump ao Reino Unido, enquanto dá a seu partido a oportunidade de decidir quem é o próximo líder. O excêntrico chanceler Boris Johnson, ex-prefeito de Londres e defensor linha-dura da saída do UK da União Europeia, é o favorito para assumir o cargo. Seria uma guinada à direita populista. May caiu justamente em seu último lance para negociar o Brexit. Ela ofereceu, tentando atrair votos dos trabalhistas, permitir que o Parlamento decida realizar ou não um novo plebiscito de forma que os britânicos possam confirmar se desejam mesmo sair da união. O gesto não atraiu aliados na oposição e fez com que o baixo clero à direita de seu próprio partido se revoltasse. Ao fim, sem conseguir qualquer acordo, May perdeu apoio até de quem lhe era próximo. (Guardian)

The Economist: “Theresa May dedicou seu período no governo a uma tarefa simples: tirar o Reino Unido da União Europeia. Em novembro, ela assinou um acordo com Bruxelas. Mas os termos eram tão piores do que aqueles que havia prometido em casa que não conseguiu aprovação do Parlamento. Deputados a derrotaram três vezes por margens esmagadoras. Sob pressão de seu próprio partido, Mrs May prometeu que desistiria caso fracasse na quarta tentativa. A polarização é seu legado — e vai perturbar seu sucessor. O espaço para um acordo ficou ainda mais estreito do que estava em 2016. E ninguém deve acreditar que a saída de Mrs May resolverá o problema do Brexit.”

Por: Meio

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.