BFS19

Anuncie

Anuncie

Notre-Dame: o ícone ocidental em chamas


O incêndio começou minutos antes das 19h, na capital francesa, na segunda-feira de início da Semana Santa. Com foco inicial no teto, nos arredores da torre central, ardeu sobre a catedral de Notre-Dame de Paris por horas — já se aproximava das 7h do dia seguinte quando o corpo de bombeiros informou que não havia mais fogo. (Fotos.) Tão logo soube, o presidente Emmanuel Macron tomou rumo da pequena Île de la Cité, envolta pelo rio Sena, e assistiu longamente, em choque. Nos arredores, por toda parte, parisienses cantavam hinos, igualmente chocados. (Vídeo.) Notre-Dame não é apenas o coração simbólico de Paris — é o centro real da França, marco zero para conta da quilometragem de cada estrada. Um portento gótico cujas obras se iniciaram em 1160 e demoraram um século para terminar. Quase 860 anos. Num país que, como raros, respira literatura, música, arte, a catedral é ícone das três. No ambiente de sua acústica ímpar nasceu um dos marcos da erudição medieval, a música polifônica. O prédio é cenário do Corcunda de Victor Hugo, o mais célebre dos escritores na terra de Dumas, Proust, Balzac, Zola e Camus. Pela noite e madrugada, mais de 500 homens trabalharam no combate ao fogo. O pináculo, torre de madeira revestida por chumbo posta lá já no século 19, com cem metros de altura, foi-se embora junto a dois terços do teto de madeira. Era justamente o trecho do prédio que vinha enfrentando obras. Por isso, as 16 estátuas de cobre do teto — os doze apóstolos e quatro evangelistas — haviam sido retiradas. Estão salvas. Como mantiveram-se intactas, no interior da nave, o altar, a coroa de espinhos que dizem ter pertencido a Cristo, e a túnica de São Luís — o rei francês que lutou na 7ª Cruzada e foi feito santo. O grande órgão de cinco teclados e oito mil tubos que data do século 15 não queimou, mas está encharcado, ainda não é possível avaliar o dano. (Vídeo.) Tampouco se sabe de como estão o pedaço da Cruz e um prego que, embala a lenda, teriam vindo direto da Paixão que esta semana relembra. Nas primeiras horas temeu-se o pior. Mas, às 23h, o governo pôde enfim dizer: “a estrutura ficou intacta”. Inclua-se na lista os vitrais da torre norte, os mais antigos, que datam do século 13. “É uma tragédia terrível”, disse enfim Macron. “Notre-Dame é a catedral de todos os franceses, o epicentro de nossas vidas.” O plano para obras de reconstrução começa hoje. A família Pinault, cujos negócios vão da Fnac a Gucci e Yves Sanit-Laurent, prometeu € 100 milhões. Os Arnault, da LVMH Moët Hennessy Louis Vuitton, darão € 200 milhões. E inúmeros sites para doações já estão sendo abertos.

O fogo em Notre Dame foi relatado primeiro por usuários em redes sociais. "Um incêndio terrível está acontecendo. Os bombeiros de Paris estão tentando dominar as chamas (...) Peço a todos que respeitem o perímetro de segurança", escreveu a prefeita de Paris, Anne Hidalgo. As imagens do incêndio chegaram aos assuntos mais comentados do Twitter mundial em poucos minutos."Essa noite queima uma parte de nós”, escreveu o presidente francês, Emmanuel Macron. A chanceler alemã, Angela Merkel, por meio de um porta-voz, e o presidente dos EUA, Donald Trump, que chegou a sugerir o uso de aviões-tanque, estiveram entre os primeiros líderes mundiais a lamentar o incêndio. Pelo Twitter, a Defesa Civil da França ressaltou que o uso de aviões poderiam piorar a situação e levar catedral ao colapso.

No final da tarde, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, lamentou. Foi apenas um dos muitos líderes mundiais a se manifestar.

Por: Meio

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.