BFS19

Anuncie

Anuncie

MEC inicia sufocamento financeiro de universidades


O novo ministro da Educação, Abraham Weintraub, iniciou um processo de sufocamento financeiro das universidades federais. Começou por três: Universidade de Brasília, Federal Fluminense e Federal da Bahia. A Federal de Juiz de Fora, onde lecionava o ex-ministro Ricardo Vélez Rodríguez, pode ser a quarta. Na UnB, o corte foi de 30% em seu orçamento. Um dos critérios de Weintraub são eventos políticos e festas que considera inadequadas nos campi. “A universidade deve estar com sobra de dinheiro para fazer bagunça e evento ridículo”, afirmou. “Sem-terra dentro do campus, gente pelada.” O outro critério é acadêmico. “A lição de casa precisa estar feita: publicação científica, avaliações em dia, estar bem no ranking.” Para ter liberdades, as universidades precisarão antes comprovar rendimento “Quando vão em universidade fazer festa, arruaça, não ter aula ou fazer seminários absurdos, é dinheiro suado que está sendo desperdiçado.” (Estadão)

No centro do debate está um contingenciamento de R$ 230 milhõesque o MEC terá de fazer em seu orçamento. Mais de metade do corte foi concentrado nas três escolas. Em 2018, lembra o Painel, a Uff fez um rumoroso ‘ato contra o fascismo’. Este ano a UnB promoveu debates com Fernando Haddad e Guilherme Boulos, candidatos à presidência de esquerda. (Folha)

Aliás... Bolsonaro quer também que Paulo Freire deixe de serpatrono da educação no Brasil. Um projeto de lei já está em curso, no Congresso, para fazê-lo. (Folha)

Por: Meio

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.