07 dezembro 2018

Relações EUA-China entram em estado de alerta



A estranha prisão de Meng Wanzhou, CFO da Huawei e filha do CEO fundador, teve forte impacto, ontem, nas relações entre China e Estados Unidos. Ela foi detida enquanto mudava de aviões, em Vancouver, no Canadá, a pedido do governo americano. A acusação formal é de que sua companhia fez negócios com o Irã, violando sanções americanas. O motivo real, explica o New York Times, é outro: um tiro de alerta americano para conter o avanço econômico global chinês, principalmente na indústria de tecnologia. O jornal também avalia que os chineses desconfiam que um braço nacionalista do governo Trump tenta sabotar um acordo comercial em andamento. “Prender alguém sem acusação clara é uma evidente violação de direitos humanos”, afirmou Geng Shuang, da chancelaria em Beijing.

De um editor de jornal chinês: “É evidente que os EUA estão empurrando a linha de batalha até a nossa porta. Podemos considerar completamente a prisão de Meng Wanzhou como uma declaração de guerra contra a China.” (Folha)

O valor das ações de companhias chinesas de tecnologia despencou, ontem. Além da Huawei, foi afetada também a concorrente ZTE.

Por: Meio