Anuncie

Anuncie

Denunciado por mais de 300 mulheres, João de Deus se entrega



A jornalista Mônica Bergamo estava com João Teixeira de Faria, o João de Deus, quando ele se entregou à polícia em uma encruzilhada de estrada de terra, às margens da BR-060, não longe da cidade goiana de Abadiânia. O pedido de prisão temporária foi aceito na Justiça na sexta-feira e, como ele ainda se encontrava em local desconhecido no sábado, a partir das 14h passou a ser considerado foragido. Mais de vinte locais foram vistoriados em sua busca. Segundo a Promotoria de Goiás, já houve o contato de 335 de pessoas que dizem ter sido abusadas sexualmente por João enquanto se consultavam com ele no papel de médium. MPs de outros estados colheram os depoimentos de mais 30 pessoas. As vítimas relatam sempre um mesmo padrão: alguém lhes passava o recado de que era para procura-lo em seu escritório ao fim das sessões. (Folha)

João estava trêmulo e pediu um remédio sublingual antes da prisão. Ele, que é cardíaco, não conseguiu dar a entrevista que planejava. (Folha)


O pedido de prisão foi acelerado quando o Ministério Público descobriu que R$ 35 milhões foram retirados de contas bancárias em nome de João. Na última quarta, ainda esteve na casa Dom Inácio de Loyola, onde atendia fiéis que acreditavam em seus poderes de cura. Segundo seus advogados, não houve saque, apenas movimentaçãoentre investimentos. (Globo)

Em entrevista ao Fantástico, dois dos netos de João de Deus relatam ter sido ameaçados com tiros por capangas do avô para que tirassem um processo que moviam contra ele. Uma advogada, sem distorção de rosto ou voz, relatou como foi abusada na frente do pai, quando tinha 16 anos.

Por: Meio

Tecnologia do Blogger.