19 novembro 2018

Com Maia favorito, esquenta disputa na Câmara



Segundo o Painel da Folha, um grupo de deputados do PSL deseja lançar o presidente da sigla, Luciano Bivar, para a presidência da Câmara. É cortina de fumaça: a real intenção é emplacar a primeira vice-presidência.

Pois é: já eram oito deputados, incluindo o atual presidente Rodrigo Maia, que se lançaram candidatos. Agora são nove. Eles vêm do PRB, do MDB, do PR, além do PSL e DEM. Maia conta com bom trânsito nos setores de esquerda e é favorável à política econômica de Paulo Guedes. Não é o favorito de ninguém, mas é o único não rejeitado por todos os lados. Sua maior dificuldade é que seu DEM já tem dois ministros — Casa Civil e Agricultura — e pode chegar a um terceiro. Há quem considere espaço demais para a sigla. (Globo)

João Domingos: “Com a divisão na base de Bolsonaro, abre-se o espaço para que Maia e Fábio Ramalho trabalhem suas candidaturas. Maia tem boa aceitação no PT e nos partidos de centro-esquerda. Caso estes desistam de lançar candidatura própria, tornarão Maia bastante competitivo. Por fora, e aí mora o perigo para Bolsonaro, corre Ramalho. É quem mais entende de baixo clero hoje. Ele está trabalhando intensamente. Aposta no racha da base do governo para se dar bem. Ramalho costuma fustigar o ocupante do Planalto. O presidente Michel Temer sabe como ele trabalha. Bolsonaro sabe que um presidente da República não pode ficar neutro na disputa pela presidência da Câmara. Dilma quis ficar neutra em 2015, mesmo sabendo que Eduardo Cunha era o favorito e lhe seria hostil. Dez meses depois, Cunha aceitou o pedido de impeachment.” (Estadão)

Por: Meio