27 setembro 2018

Prefeitura de São Desidério realiza encontro de sensibilização a Campanha Setembro Amarelo



Na manhã desta quinta-feira 27, no Centro Cultural foi realizado um encontro alusivo a Campanha Setembro Amarelo. A iniciativa foi da Prefeitura de São Desidério por meio das secretarias municipais de Assistência Social e de Saúde, e contou com a presença de estudantes, professores, funcionários das secretarias e população em geral.


A secretária de Assistência Social, Vandreia Mendes e o secretário de Saúde, Zé Barbosa deram as boas vindas aos participantes. “Quando se fala desse tema, quanto mais informações tivermos, melhor”, disse Vandreia. “Suicídio se tornou uma questão de saúde pública. Não deixe um problema interiorizar para que venha futuramente se tornar um suicídio”, complementou Zé Barbosa.


Palestras de prevenção ao suicídio marcaram o momento. A psicóloga do Hospital e Maternidade, Silvia Medeiros, falou a respeito do tema ‘A psicologia, o hospital e a aposta na palavra’. “A palavra antecede o sujeito e ajuda a conferir significado as questões existenciais que todos os indivíduos trazem, e o hospital acaba sendo o local mais propício ao acolhimento e a mobilização para o tratamento quando ocorrem as tentativas de suicídio”, destacou a psicóloga Silvia.


O psiquiatra do Centro de atenção Psicossocial do município (CAPS), Dr. Enock Luz, fez apontamentos acerca do tema ‘Comportamento suicida e formas de tratamento’ e orientou. “Conversem mais em casa, esse é o ambiente de maior confiança. Além do ‘whatsApp’ e do ‘facebook’ busquem mais contato físico com os familiares, com os amigos. Hoje um dos maiores casos que levam a tentativa de suicídio é a depressão. Sofrimento não se guarda, se elimina”, declarou o psiquiatra.

Para finalizar foi aberto um momento para debates e esclarecimentos com participação do público. “É bom quando são oportunizados esses debates, conheço casos próximos e na maioria das vezes por falta de diálogo, as famílias não percebem e tratam doenças como a depressão como uma besteira, mas com informação saberemos como tratar”, disse a estudante do 3º ano do Colégio Estadual Bento Alves das Neves, Yara Maria Oliveira

Texto e fotos: Ana Lúcia Souza