02 julho 2018

Em dia de jogo contra Brasil, México vira à esquerda



Andrés Manuel Lopez Obrador, o ex-prefeito da capital, venceu as eleições presidenciais realizadas ontem, no México. É sua terceira disputa. Ainda não há uma contagem oficial, mas seus principais concorrentes já reconheceram a derrota. Assim, mesmo num ambiente que vem se mostrando favorável à direita nas Américas, o país guina à esquerda. E por larga diferença — possivelmente a maior diferença já registrada por um candidato vitorioso.

A transformação é histórica. A centro-direita está no comando mexicano desde os anos 1980 e segue com maioria no Congresso. Lopez Obrador, conhecido pela sigla AMLO, desta vez se aliou não apenas à esquerda tradicional, mas também aos evangélicos, deslocou-se ao centro e pactuou com a elite empresarial. Fez correr localmente uma versão do ‘lulinha paz e amor’: AMLOve. Não é um Hugo Chávez mexicano, afirma o correspondente do El País Javier Lafuente. Não é militar, tampouco estruturaria um governo de fardados. Tem a tenacidade de Lula para alcançar o poder, mas não a visão global do brasileiro. Seu foco de governo será no México. Além do quê, seu principal argumento de campanha foi o do combate à corrupção no qual mergulhou o país. Justamente o ponto fraco petista.

Fonte: Meio