14 junho 2018

Copa começa hoje; Brasil, Espanha e Alemanha são favoritos



É oficial: já é Copa na Rússia. O Estádio Lujniki, em Moscou, com capacidade para 80.000 espectadores, será o palco do evento de abertura que acontece hoje, às 11h30 em Brasília. A principal atração musical será o cantor britânico Robbie Williams. Ronaldo, o Fenômeno, também estará lá. Logo em seguida, a festa dá lugar à primeira partida do torneio: a Rússia, seleção anfitriã, enfrenta a Arábia Saudita. Começa meio-dia. Na TV aberta, a Globo fará a transmissão ao vivo. Já nos canais pagos, a Copa do Mundo 2018 terá a transmissão de SporTV e Fox Sports. (Estadão)

O Google preparou uma tabela com o calendário das partidas, a classificação das seleções, notícias e atualizações sobre os jogadores. O primeiro embate do Brasil é na Arena Rostov, contra a Suíça, no domingo, às 15h — sempre horário de Brasília. E, segundo o site de buscas, há 68% de chances de vitória brasileira. (Você pode pesquisar por outros jogos para ver as estatísticas.)

Tipo: Só 68%?

Na primeira fase, o Brasil jogará ainda contra Costa Rica (dia 22, às 9h, 80% de chances de vitória pelo Google) e Sérvia (27, às 15h, 69%).

O mercado financeiro está fazendo suas previsões com base nos algoritmos que costuma usar. O Brasil, aliás, é o favorito do Goldman Sachs e do Itaú. Há diferentes metodologias. Uma equipe da Escola de Economia de Toulouse, na França, estudou as fotos de mais de 4.000 jogadores nos álbuns de figurinha da Copa da Panini desde 1970 — o mais sorridentes teriam mais chances de fazer gols, enquanto os zangados sofreriam menos gols porque seriam mais competitivos. O estatístico americano Nate Silver, conhecido pela cobertura de eleições e beisebol no seu o FiveThirtyEight, dá 19% de chances para o Brasil contra 17% da Espanha e 13% da Alemanha. E ele abriu seus sistema: você pode também fazer a sua previsão.

Só que... Depois de anunciar um acordo para assumir o Real Madrid ao fim do torneio, o técnico Julen Lopetegui foi demitido do comando da seleção espanhola. Literalmente na véspera da Copa. Quem assume a equipe, dois dias antes da estreia, é Fernando Hierro. Duro (e desnecessário) baque psicológico a impor numa excelente equipe.

Enquanto isso... No Globo, jornalistas dos 32 países que participam do Mundial analisam as táticas, as formações e as expectativas de suas próprias seleções na competição.

E a Copa de 2026, que pela primeira vez terá 48 seleções — atualmente são 32 —, já tem destino certo. Destinos. Ganhou a candidatura tripla de Estados Unidos, México e Canadá. Foram 134 votos contra 65 para o Marrocos.

Aliás... Havia um acordo entre os membros da Conmebol para que votassem na candidatura tripla. O Brasil, no entanto, surpreendeu e acabou escolhendo o Marrocos. Não pegou muito bem.

Helio Gurovitz: “Os comunistas podem ter saído do poder há quase três décadas, mas o controle do Estado russo sobre a economia e a informação não mudou. A Rússia aproveita a oportunidade para afastar da audiência global os espectros do escândalo do doping na Olimpíada de Sochi, dos vândalos que barbarizaram a final da Copa da Europa de 2016 em Marselha, dos hackers intervindo em eleições mundo afora, do apoio às armas químicas de Bashar Assad na Síria, da anexação da Crimeia, do envenenamento do ex-espião Sergei Skripal e sua filha em Londres (não foi o primeiro...), dos assassinatos de jornalistas, da tentativa de sufocar a oposição e de todo o halo de corrupção e arbitrariedade que sempre cercou Putin.”

Por: Meio