23 maio 2018

Azeredo, primeiro grão-tucano preso



A 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça mineiro rejeitou o embargo de declaração apresentado pelos advogados do ex-governador Eduardo Azeredo. Era o último recurso. A Defesa ainda tentou adiar mais um pouco a prisão, pedindo que só fosse emitido mandado após publicação do acórdão. Os desembargadores votaram, 4 a 1. A Polícia Civil já está negociando a entrega do tucano, que deverá se apresentar hoje a uma delegacia de Belo Horizonte. Azeredo foi condenado a 20 anos e um mês por desvio de dinheiro público sobre o qual era responsável, além da sua lavagem. O esquema que comandou, chamado Mensalão Mineiro, foi o precursor daquele utilizado pelo PT, em Brasília. (Estadão)

Silvia Amorim: “O caso de Azeredo enterra qualquer estratégia do PSDB de tentar se vender como um partido diferente. Se antes pesquisas internas já vinham apontando que o PSDB se fragiliza junto ao eleitorado a cada citação em investigações, imagina depois que imagens da prisão de Azeredo começarem a circular nas redes sociais. Já houve o episódio envolvendo o senador Aécio Neves, flagrado em uma conversa com o empresário Joesley Batista pedindo R$ 2 milhões. Depois veio o impasse sobre ficar ou deixar o governo Temer, o que tatuou no partido a imagem de fisiológico. Isso sem falar na Lava-Jato, onde tucanos graúdos pipocam com frequência. Mas não se trata de mais uma denúncia. É a prisão de um tucano ilustre. E, como gostam de pregar os marqueteiros, uma imagem vale mais do que mil discursos numa campanha eleitoral. Por essas e outras, a candidatura de Alckmin vai se tornando, pouco a pouco, uma enorme vidraça.” (Globo)

Por: Meio