02 abril 2018

Amigos de Temer, soltos; Mas o ‘estrago foi feito’



Na noite de sábado, o ministro do Supremo Luís Roberto Barroso determinou a soltura de dois amigos do presidente Michel Temer, José Yunes e João Baptista Lima Filho, além dos outros detidos durante a Operação Skala. O pedido de soltura partiu da procuradora-geral da República, Raquel Dodge — a mesma que havia requisitado sua prisão. Segundo Dodge, os depoimentos que eram necessários para a investigação sobre irregularidades no Decreto dos Portos já haviam sido tomados, tornando a continuidade das prisões desnecessária. Normalmente, aliás, a procuradora teria pedido uma condução coercitiva. Mas o recurso de levar alguém para depor de forma obrigada foi suspenso pelo ministro Gilmar Mendes, em dezembro. Sobrou a prisão temporária.

Valdo Cruz: “Logo após ter conhecimento da revogação das prisões da Operação Skala, o governo Temer avaliou que a decisão reduz a tensão dos últimos dias, mas não será capaz de reverter o estrago político na imagem do presidente. Segundo assessores, o ‘estrago está feito’ e ‘não tem volta’, prejudicando as articulações do emedebista para disputar um novo mandato. Na avaliação do governo, a única prisão que poderia ser justificável seria a do coronel João Baptista Lima Filho, porque ele vinha evitando prestar depoimento nos últimos nove meses. Lima, por sinal, manteve sua posição de não depor.”

Helena Chagas: “Raquel amarelou? Tudo indica que não, e que o fato de pedir a soltura desses acusados não quer dizer que não se achou grande coisa contra eles e contra Temer na operação Skala. Ao menos à primeira vista, o MP parece satisfeito. É bom lembrar que nem PF pediu a prisão dos amigos de Temer, solicitando, sim, sua condução coercitiva. Dodge transformou o pedido em prisão porque o instituto da condução está suspenso por liminar do ministro Gilmar Mendes. Barroso, que anda às turras tanto com Mendes quanto com Temer, aceitou. Apesar das acusações que pesam sobre esses personagens presos, o principal investigado no inquérito dos Portos é o presidente.”

Por: Meio