18 janeiro 2018

Crise na Caixa pode derrubar reforma da Previdência



Um dos vice-presidentes afastados da Caixa Econômica, Roberto Derziê de Sant’Anna, circulava no Planalto com frequência. Visitava os ministros responsáveis pela articulação política. Com Temer, segundo a agenda oficial, esteve três vezes em 2017. Ele e outros três são investigados pela Polícia Federal e pelo Ministério Público. Seus nomes foram indicados por PR, PP, PRB e PMDB e fazem parte da influência destes partidos dentro da máquina pública. Sem este espaço, ameaçam travar a reforma da Previdência e, por isso, querem indicar os substitutos. Segundo o Estadão, pelo menos o PR cogita encaminhar o nome da mesma pessoa.

Enquanto isso... No próximo dia 19, uma assembleia votará mudanças no estatuto do banco. Entre elas, a possibilidade de que passe a ser o Conselho de Administração da Caixa, e não o presidente, quem indica os dirigentes. “Se deixar acontecer, será a pá de cal sobre a reforma”, disse a Gerson Camarotti um líder governista no Parlamento.

Não é só a Caixa. Mais de cem estatais têm até junho para se enquadrar à Lei das Estatais, sancionada no ano passado. O objetivo é eliminar influência política nos comandos. Segundo Cristiana Lôbo, é uma vitória da área técnica.

Por: Meio