09 novembro 2017

Novo homem forte da PF foi escolhido pelo PMDB



O presidente Michel Temer apeou do comando da Polícia Federal Leandro Daiello. A ameaça de que o faria já estava no ar há meses — mas agora foi, e a decisão veio rápido. O novo diretor-geral é Fernando Segóvia. Não é quem o ministro da Justiça, Torquato Jardim, desejava. Mas é quem o PMDB queria. Segundo a repórter Andréia Sadi, da GloboNews, o ex-presidente José Sarney vinha pressionando pelo seu nome. No último sábado, tornou ao assunto numa conversa com Temer na qual estava presente também o senador Romero Jucá. Não foi só ele. De acordo com apuração de Andreza Matais, da Coluna do Estadão, o ministro da Casa Civil Eliseu Padilhatambém se empenhou. Na Folha, Camila Mattoso e Marina Dias vão além. Os pedidos pela troca se intensificaram após a PF encontrar os R$ 51 milhões do ex-ministro preso Geddel Vieira Lima. A interferência de Padilha irritou Torquato. Pois tampouco foi só ele. Moreira Franco também trabalhou, conta Lauro Jardim, no Globo. Na Polícia Federal, a percepção é de que o Planalto temia o curso das investigações.

Não custa lembrar: o grampo feito por Sérgio Machado e divulgado em maio do ano passado envolvia tanto Sarney quanto Jucá no ‘grande acordo nacional’ para bloquear as investigações.

Só melhora: outro padrinho de Segóvia é Gilmar Mendes. (Folha)

Fonte: Meio