15 agosto 2017

Servidores de Luís Eduardo Magalhães entram em greve após corte de benefício


Funcionários alegam que recebiam gratificação por produtividade há 10 anos. Paralisação começou nesta segunda-feira (14).

Fiscais de secretarias de Luís Eduardo Magalhães entram em greve por tempo indeterminado

Fiscais de quatro secretarias da cidade de Luís Eduardo Magalhães, no oeste da Bahia, entraram em greve nesta segunda-feira (14), por tempo indeterminado. Segundo eles, a prefeitura deixou de pagar a gratificação por produtividade, também conhecida como Gprod, que eles recebiam há dez anos. Para o secretário de Administração do Município, a gratificação é contra a lei.

Os servidores que estão em greve são das secretarias de Agricultura, Meio Ambiente, Segurança Pública e também da Vigilância Sanitária. Eles se reuníram em frente à prefeitura de Luís Eduardo Magalhães para protestar nesta segunda-feira.

"O servidor fiscal tem direito por lei a receber uma gratificação que é a aferida pelo sistema de metas. Em janeiro, ele [o prefeito] chegou com entendimento que não deveria mais pagar a gratificação", explicou Marcelo Rufino, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Luís Eduardo Magalhães ( SINSERPLEM).

Claudinei Pires, que é fiscal da Agricultura, contou que desde que a gratificação foi cortada está tendo dificuldades para pagar as contas. A servidora Joscimara Machado também reclama. Segundo ela, a prefeitura continua pagando a gratificação para outros fiscais, que não entraram em greve.

Conforme o secretário de administração de Luís Eduardo Magalhães, Ricardo Knupp, o pagamento da gratificação por produtividade para outros servidores é justificado por lei. "Esses fiscais [que estão em greve] estavam sendo contemplados por um decreto do prefeito anterior, onde ele estendia a gratificação para esses fiscais das outras secretarias, que não eram das secretarias de Administração e Finanças e, por isso, foi feito um estudo para uma mudança na lei, para que se pudesse de forma definitiva regulamentar o pagamento dessa gratificação", explicou.

Ainda segundo Knupp, a prefeitura paga uma gratificação de menor valor aos servidores para compensar a perda da Gprod. "Os fiscais de nível superior estão tendo uma gratificação de 50% sobre os salários deles e os fiscais de nível médio estão tendo uma gratificação de R$ 1.200 para ajudar nessa compensação enquanto a lei não é votada", contou.

Fonte: G1 BA