Anuncie

Anuncie

Servidores de Barreiras fazem paralisação de 48h por conta de votação na Câmara que altera estatuto da categoria


Grupo parou atividades nesta terça-feira (8). Cerca de 23 mil estudantes da rede municipal estão sem aulas.

Servidores municipais param as atividades em Barreiras

Os servidores municipais de Barreiras iniciaram, na manhã desta terça-feira (8), uma paralisação das atividades por 48 horas por conta de um projeto que altera o estatuto do servidor e que está na Câmara de Vereadores da cidade para votação. Por conta da situação, cerca de 23 mil estudantes da rede municipal ficaram sem aula e alguns setores da saúde estão sem funcionar. A categoria informou que pretende voltar ao trabalho na quinta-feira (10).

Os servidores fizeram uma manifestação na sede da prefeitura de Barreiras nesta terça-feira, quando os vereadores retornaram as atividades e colocou o projeto para votação. Não há detalhes se houve votação referente ao caso ainda nesta terça-feira.

Conforme o Sindicato dos Servidores Municipais de Barreiras, entre as alterações no estatuto estão as revogações do quinquênio, da licença prêmio, da estabilidade econômica, da progressão vertical, a regência de classe do professor com aluno especial, a atividade complementar, além de alterar a gratificação por titulações a licença para tratamento de saúde, entre outros.

A prefeitura informou que aguarda a votação dos projetos pela Câmara de Vereadores e alega que tudo está sendo feito dentro do que é previsto por lei. "A grande prova que tudo ocorre dentro da legalidade é que o poder judiciário, por três vezes, disse que não há ilegalidade. O Ministério Público foi provocado e confirmou que essa é uma dicussão que envolve o poder Executivo e o Legislativo", informou o procurador do município, Túlio Viana.

Já o sindicato dos professores informou que a paralisação de dois dias tem como objetivo abrir uma negociação com o executivo."Esperamos que [o prefeito] abra a mesa de negociação, discuta ponto a ponto com a categoria. Essa reforma retira a maioria dos direitos conquistados com muita luta", disse Arizangela Faria, presidente do Sindicato dos Professores de Barreiras (Sinprof).

Servidores de Barreiras fazem paralisação de 48h por conta de votação na Câmara que altera estatuto da categoria (Foto: Imagem/ TV Oeste)

Fonte: G1 BA

Tecnologia do Blogger.