02 março 2016

ADOLESCENTE ERA ABUSADA SEXUALMENTE PELO TIO DESDE OS 11 ANOS DE IDADE



A vítima, uma adolescente de 15 anos, revelou ao Conselho Tutelar de Oliveira dos Brejinhos/BA que foi estuprada aos 11 anos de idade e permaneceu sofrendo abusos sexuais do próprio tio, um indivíduo de 36 anos, durante mais de dois anos. Na ocasião, a garota morava com sua avó materna e ocultou o crime até agora, temendo represálias do autor.

O caso veio à tona no final de semana passado quando a menor foi flagrada debaixo de uma ponte da cidade de Ibotirama/BA, acompanhada de outro tio, morador de Goiânia, Goiás, estado para onde pretendia levá-la prometendo emprego e estudo. Populares acharam estranha a presença da garota naquele ambiente, em companhia de adultos e denunciaram o caso a policia militar, que foi ao local e terminou descobrindo a intenção da menina de ir embora da cidade onde morava para fugir dos atos de violência sexual praticados pelo tio.


Segundo ela foi assaltada ao chegar na cidade de Ibotirama, por isso, ficou impossibilitada de prosseguir viagem, só encontrando abrigo debaixo da ponte. Declarou que o tio com quem estava de viagem, não sabia dos abusos sexuais que a mesma vinha sofrendo, mas afirmou que sua avó e outros membros da família a expulsaram de casa assim que tomaram conhecimento dos estupros.

As conselheiras Glaúcia Marlene e Silmaria Alves em companhia de policiais militares foram deixar a menina na casa de um parente, o qual recusou recebê-la. Diante desta situação, eles foram obrigados a encaminhá-la para uma pensão até que tudo seja resolvido. “Há indícios de que a família esteja acobertando o acusado e ela disse que não contou antes o caso para ninguém, por medo, e confessou que o tio abusava dela desde criança” comentou uma das conselheiras.

A vítima foi encaminhada ao Instituto Médico Legal de Barreiras/BA para ser submetida a exame de corpo/delito. O resultado da perícia deverá ser revelado em 30 dias. O caso está sendo investigado pelo delegado titular de Oliveira dos Brejinhos, Clenilton Figueiredo.

Fonte: Alô Alô Salomão