12 agosto 2014

UM ANO E MEIO SE PASSOU E O LIXÃO DE LUIS EDUARDO MAGALHÃES CONTINUA CERCANDO OS MORADORES DO BAIRRO CIDADE UNIVERSITÁRIA E RESIDENCIAL 90

No início de Fevereiro do ano passado (2013), em Luis Eduardo Magalhães, Oeste da Bahia, uma manifestação foi feita por conta do lixo da cidade inteira que estava sendo despejado no Bairro Cidade Universitária.
Uma semana após as manifestações, uma reunião foi feita na Prefeitura e a solução foi divulgada no site da Prefeitura Municipal. De acordo com a matéria, o lixão municipal seria transferido para uma área distante 12 km do centro da cidade. Este que tem trinta mil metros quadrados foi doado por um grande empresário da cidade em uma parceria com o município.
Segundo o próprio Prefeito Municipal de Luis Eduardo Magalhães Humberto Santa Cruz, a partir deste acordo, e com o terreno já cercado, após 60 dias o projeto já estaria a pleno vapor.
Em Abril ainda de 2013, um novo questionamento fora feito pelo veículo de comunicação Jornal A TARDE. Devido ao crescimento do lixão, este chegava a 10 metros das casas do Bairro Cidade Universitária e Residencial 90.
A população que mora próximo a esse lixão, desde o ano passado tinha como principais preocupações as doenças, ratos, mau cheiro, baratas, bichos peçonhentos e falta de privacidade das próprias famílias, que sequer podiam se utilizar de seus quintais e outras dependências das casas, umas vez que em alguns cômodos o mau cheiro é ainda pior.
O Programa Voz da Cidade da Rádio Cidade AM 670, comandado pelo Radialista Fernando Pop com o auxílio do Repórter Agnaldo Santos, várias informações a respeito desta verdadeira “novela”, como disse Fernando Pop, foi levado ao ar para que o ouvinte entendesse a gravidade do problema que ainda assola a população destas localidades.
O Repórter Agnaldo Santos foi no local destinado para o novo lixão e, de acordo com um fazendeiro que lá estava, disse que se depender dos fazendeiros vizinhos, o lixão não passará a ser lá.
Alguns moradores do bairro Cidade Universitária e Residencial 90 foram entrevistados e estes estão revoltados, pois após um ano e meio, absolutamente nada foi feito para regularizar o lixão do município e tudo continua sendo despejado lá. “O Prefeito disse que ia fazer, prometeu, fez propaganda de que as coisas já estavam encaminhadas e nada foi feito! Isso é revoltante! Temos que procurar os cômodos em que menos o vento alcança, caso contrário, não conseguimos sequer almoçar por causa do mau cheiro”, disse revoltada Dona Maria, moradora do bairro Cidade Universitária.
De acordo com uma nota emitida pela Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal de Luis Eduardo Magalhães, “Para implantação do Aterro Sanitário aguardamos a finalização do Plano Municipal de Saneamento Básico que tem previsão de ser concluído em dezembro deste ano. Este plano contemplará as ações a curto, médio e longo prazo para gerenciamento e execução da água potável, esgotamento sanitário, drenagem urbana e resíduos sólidos do município. Em breve será informada data e local de uma audiência pública para tratar do tema”.

O Programa Voz da Cidade questionou diante da nota de esclarecimento, as datas anteriores divulgadas para a entrega enfim, do novo aterro sanitário. Questionamento esse que paira sob a sociedade luiseduardense.

www.fernandopop.com